Buscar
  • Sênior Marketing

Franquia de odontologia


Verdades que nenhum franqueador vai te contar!

Vamos deixar claro que franquia odontológica pode ser sim um ótimo negócio para alguns profissionais de odontologia, especialmente para aqueles que não entendem e não querem ter o trabalho de buscar entender gestão e marketing, e que estão dispostos a investir (e a seguir) em um modelo de negócios pronto para ser executado.

Isso posto, vamos ao nosso artigo.

Em momentos de crise as franquias tendem a crescer. Parece óbvio, pois a grande maioria dos empreendedores brasileiros carecem de formação em gestão e marketing.

No mercado de odontologia essa lacuna é ainda maior. É de senso comum que a formação do dentista brasileiro carece de maiores conhecimentos de empreendedorismo, técnicas de administração, marketing e vendas.

Pois é exatamente esse conhecimento que as franquias de odontologia trazem no bojo do seu modelo de negócios.

Elas tentam trazer para um mundo de mundo amadorismo administrativo um modelo de negócios com padrões, processos, protocolos, scripts e rotinas.

Acontece que a maior forteza do modelo de franquias odontológicas é também a sua maior fraqueza. A extrema padronização necessária para que o sistema funcione e se sustente "apesar do dentista" que esta gerenciando a clínica faz com que o modelo se torne rígido e focado em metas comerciais e gerenciais que nem sempre são as mesmas entre o profissional técnico (dentista) e o franqueador (administrador).

Dentistas que estão se formando ou aqueles que estão com dificuldades para fazerem suas clínicas "virarem" tendem a enxergar nas franquias odontológicas a "salvação da lavoura".

Ofuscados pelo brilhos de estandes reluzentes e vídeos bem produzidos, além de apresentações muito bem conduzidas por vendedores treinados em eventos de prestígio como o CIOSP confundem facilmente profissionais que estão literalmente loucos por uma "solução do seus problemas".

No afã de resolver um desconforto ou necessidade (financeira ou emocional) são levados a acreditar que basta colocar o dinheiro no negócio (comprar a franquia) e que os resultados virão como mágica.

Ou pior, que o franqueador tem um modelo "único" de captação de pacientes que ele nunca viu. Via de regra (verifique com a franquia que esta negociando) esse modelo sobrepassa todas as regras do CRO que geralmente o dentista critica os colegas que vem lhe roubando os seus atuais pacientes.

Não é incomum e facilmente encontrado nas maiores redes de franquias no Brasil, nas principais capitais e cidades brasileiras vermos situações que fogem totalmente ao critério ético do conselho regional e odontologia, ou no mínimo a ética e a postura que se espera da classe profissional odontológica, tais como:

- Divulgação de imagens de antes e depois de pacientes em redes sociais, sites e panfletos e até em televisão em horário nobre (sabe-se lá como sem maiores problemas...);

- Pessoas vestidas de palhaços (isso mesmo palhaços) na porta da clínica abordando os transeuntes e oferecendo "brindes";

- Captação na rua (street) de pacientes oferecendo avaliação gratuita de procedimentos odontológicos. A famosa captação do "paciente no laço", muitas vezes na frente de clínicas de outros profissionais (poderia ser na frente da sua clínica);

- Colocação de totens em via pública para oferta de exames de aferição de pressão, exames de glicose e ao mesmo tempo captação de novos pacientes;

- Visitas a escolas com oferta de brindes para alunos mesmo sendo tal prática proibida pelo MEC.

Etc, etc, etc.

Essas são apenas algumas das "estratégias de captação únicas" que os franqueados recebem do franqueador.

Claro, uma franquia de odontologia precisa gerar faturamento alto, afinal, o franqueador não vai te falar, mas quanto mais sua unidade faturar mais alto ele vai faturar também, já que o ganho dele é sobre o faturamento bruto da sua clínica e o seu sobre o líquido (o que sobra).

Então, interessa muito para o franqueador que você fature (não lucro) mais e mais e mais. Porque ele também vai faturar mais e mais e mais. Não necessariamente, seu lucro vai aumentar em relação direta com o faturamento. Geralmente é o contrário.

Outro detalhe que os franqueadores "esquecem" de te esclarecer é a diferença entre rentabilidade e lucratividade. Eles afirmam que você terá alta rentabilidade, mas o que você poderá ter é lucratividade. São conceitos financeiros diferentes. Se você não sabe o que significam deveria estuda-los primeiro, ANTES de procurar uma franquia, para não cair nessa conversa fiada.

Por fim e não menos importante, saiba que ao assinar o contrato de franquia você acaba de se tornar sócio do franqueado. Podem dizer o que for, mas o verdadeiro dono do negócio sempre será o franqueador. É ele quem decide que serviço sua clínica vai oferecer, qual a faixa de preços, como fazer captação e até que cor a sua clínica vai ter. E ele vai ficar com boa parte do seu faturamento bruto. Se isso não acha que isso é ter um sócio, desculpe amigo, você é uma criança brincando de empreendedor.

Conclusão

Novamente, não queremos sustentar aqui que franquia não é um bom negócio. Depende muito das suas necessidades e do preço que você esta disposto a pagar por um conjunto de serviços. Existem outras alternativas a franquia de odontologia? Sim. Abrir uma empresa por conta própria e contar com uma assessoria de gestão e marketing odontológico é uma opção. Para todo mundo? Não! Assim como a franquia de odontologia também não é para todo mundo.

Se você quer saber mais sobre franquia de odontologia e consultoria de gestão e marketing para odontologia entre em contato conosco e converse com um dos nossos doutores em administração e marketing especializados em gestão para saúde.

Senior Marketing

Gestão e Marketing para Odontologia

#franquiaodontologica #franquiadeodontologia #franqueadosodontologia #franquiadeortodontia

14 visualizações
(11) 3254-7451
Senior Marketing.png